MORTE DE ALEXANDRE MIYAGAWA

Fórum Sindical de MT pede celeridade em investigação e prisão de Paccola

Publicado em

GERAL [email protected]

O Fórum Sindical, composto por vários sindicatos do Poder Executivo, emitiu nota na manhã dessa quarta-feira (6), cobrando celeridade e transparência nas investigações da morte do agente socioeducartivo Alexandre Miyagawa, morto pelo vereador Marcos Paccola (Republicanos) no dia 1º de julho.

O fórum defendeu ainda a prisão preventiva do parlamentar e o afastamento do cargo na Câmara Municipal de Cuiabá.

“O clima de impunidade não deve prosperar”, diz trecho da nota.

Para o Fórum Sindical, trata-se de uma “execução” praticada por Paccola “ao estilo de ‘Tropa de Elite'”. Os servidores destacam que o vereador “não está em serviço pela corporação”.

O Fórum também lembra  que Paccola é investigado na “Operação Coverage”, do Ministério Público Estadual (MPE).

O militar da reserva é acusado dos crimes de falsidade ideológica e inserção de dados falsos em sistema de informações, por alterar de maneira ilegal o registro de armas de fogo.

Em nota, a assessoria do vereador Paccola disse que o parlamentar agiu em legítima defesa.

Leia a nota do Fórum na íntegra:

Na última sexta-feira (01/07/2022), o agente de segurança socioeducativo, Alexandre Miyagawa (Japa), de 41 anos, morreu após ser atingido pelo vereador Tenente Coronel Reformado Marcos Eduardo Ticianel Paccola (Republicanos) por tiros de uma arma de fogo na Rua Presidente Arthur Bernardes, Bairro Quilombo, em Cuiabá.

A ação do vereador de Cuiabá/MT, Tenente Coronel Reformado Marcos Paccola (Republicanos), responsável pelos disparos foi filmado por câmeras de segurança que mostram o momento em que atirou covardemente, pelas costas, no Servidor Público Alexandre Miyagawa (Japa).

Os motivos do crime devem ser investigados. Mas, devem ter a devida celeridade pelas forças de segurança, inclusive com a prisão preventiva do Vereador Tenente Coronel reformado. O clima de impunidade não deve prosperar.

O vereador e executor em questão é o mesmo investigado pela “Operação Coverage” que versa sobre falsidade ideológica e inserção de dados falsos em sistema de informações que, segundo o Ministério Público do Estado de Mato Grosso, os envolvidos, inclusive o Vereador Tenente Coronel Paccola, realizavam práticas delituosa que visavam a adulteração de registros de armas de fogo em que em um dos casos teve o objetivo de ocultar a autoria de sete crimes de homicídios, sendo quatro tentados e três consumados, ocorridos entre os anos de 2015 e 2016, praticados pelo grupo de extermínio conhecido como “Mercenários”. Há previsão que o julgamento ocorra pela Vara Especializada em Justiça Militar no dia 03 de novembro de 2022.

O mesmo vereador executante de Japa já declarou na tribuna da Câmara de Vereadores de Cuiabá/MT “possuir munições para atingir até 500 militantes do Partido dos Trabalhadores (PT), caso eles realizem algum ato de protesto na frente da sua residência”.

A declaração foi dada na sessão do dia 07 de abril de 2022. Na fala, o Vereador Paccola diz: “Quero aqui deixar um recado. Só o que eu carrego comigo aqui no IDC aqui, 50 militantes no meu dia a dia eu posso [sic ‘Matar’]”. Uma clara alusão de que a vida, para ele, poderá ser retirada na bala como fez com o colega Japa.

Repudiamos a execução praticada pelo vereador Tenente Coronel reformado Marcos Paccola (Republicanos) e integrante da reserva da Polícia Militar do Estado de Mato Grosso, que não está em serviço pela corporação, na cidade de Cuiabá/MT, ao estilo de “Tropa de Elite”, vitimou o trabalhador Servidor Público Agente de Segurança Socioeducativo, Alexandre Miyagawa (Japa).

As cenas compartilhadas nas redes sociais e meios de comunicação nos reportam às atrocidades nazistas que vitimaram pessoas inocentes de todas as idades. As imagens deixam evidente que o Vereador Tenente Coronel reformado da Polícia Militar de Mato Grosso matou o trabalhador em situação de covardia, de forma premeditada e atirou no propósito claro de executar com todo requinte de crueldade.

O FÓRUM SINDICAL DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO PODER EXECUTIVO DE MATO GROSSO se solidariza com a família da vítima e ao mesmo tempo cobra das autoridades (policiais, judiciárias e Ministério Público), o devido processo legal que puna o autor do crime para que atos de impunidade não sejam corriqueiros e passíveis de perdões.

Assim como, cobra a imediata instauração do procedimento de CPI, pela Câmara Municipal de Cuiabá/MT, que resulte no afastamento definitivo do cargo de Vereador, do Coronel Marcos Paccola (Republicanos), por quebra do decoro parlamentar e prática criminosa de execução por motivo torpe.

Nós repudiamos toda forma de violência, defendemos a vida e a liberdade do nosso povo, e não aceitaremos a impunidade como resposta!

Cuiabá/MT, 05 de julho de 2022.

Fórum Sindical dos Servidores Públicos do Poder Executivo do Estado de Mato Grosso

Leia a íntegra da nota do vereador Marcos Paccola:

Leia Também:  Sesp entrega medalhas a profissionais de segurança por contribuírem com a redução de índices criminais

Em virtude da veiculação na mídia desde o ocorrido na noite do dia 01/07/2022, com diversas matérias e versões sobre uma situação envolvendo o Vereador por Cuiabá, Tenente Coronel Paccola e o Agente Socioeducativo Alexandre Miyagawa, o que se tem a informar no momento é que o Vereador Paccola estava em deslocamento para um compromisso, por volta das 19h30 (horário local), e, durante a conversão da Av. Presidente Artur Bernardes com a Avenida Senador Filinto Muller, no bairro Quilombo, se deparou com o trânsito parado e diversos populares se aglomerando nas proximidades do estabelecimento de esquina. Diante da situação, como sempre fez em toda sua vida profissional, como oficial da reserva da Polícia Militar, no compromisso de SERVIR E PROTEGER MESMO COM O RISCO DA PRÓPRIA VIDA, desceu do veículo para verificar do que se tratava a situação, já que não havia a presença de nenhuma viatura ostensiva no local.

No primeiro momento, da posição de desembarque até o local que se aproximou na calçada, não avistou ninguém armado, e aparentemente, seria tão somente uma situação de discussão entre populares que se xingavam. Como não visualizou nada de grave, chegou a dizer ao seu Assessor que era só um desentendimento e que já estavam atrasados para o compromisso.

No entanto, após ter decidido sair do local, ouviu alguém que estava no meio da aglomeração gritando: “ELE ESTÁ ARMADO”, e logo em seguida ouviu um terceiro falando: “ELE VAI MATAR ELA”. Neste momento, o Vereador Tenente Coronel Paccola se virou e foi até a esquina para observar do que se tratava na rua do lado de fora da conveniência. Ao chegar na esquina, somente quando visualizou o cidadão com uma arma em punho, atravessando a rua com uma mulher à sua frente, diante da cena de clara ameaça, se viu então obrigado a sacar a arma e verbalizou algumas vezes com o cidadão: “POLÍCIA, LARGA A ARMA”!

Infelizmente, ao invés de atender a ordem, o cidadão fez menção de virar com a arma em punho em direção ao Vereador Tenente Coronel Paccola, não restando outra opção, senão o de utilizar os meios necessários e proporcionais para o exercício da legítima defesa própria e de terceiros, com intuito de neutralizar a injusta agressão visualizada, efetuou os disparos que atingiram o Agente Socioeducativo Alexandre.

Em virtude da forte emoção e do comportamento instável da mulher após a intervenção, e considerando o risco de alguém pegar a arma de Alexandre, para segurança de todos que estavam no local, o Vereador Tenente Coronel Paccola determinou para seu Assessor que pegasse a arma no chão, que estava ao lado da mão direita de Alexandre. Sendo assim, ficou visível nas fotos e vídeos somente o coldre rígido que estava em sua cintura, aparentando ser uma arma, como divulgado em alguns sites de notícia. Com a chegada da primeira equipe da Polícia, a arma de Alexandre com carregador e munições foi entregue ao policial, e ainda assim, a mulher tentou tomar a arma no coldre do Policial.

Após o ocorrido, o Vereador Tenente Coronel Paccola permaneceu no local e solicitou o acionamento da Polícia e do SAMU, bem como o isolamento do local para perícia. Na sequência, deslocou-se até a Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa para fazer sua apresentação espontânea ao Delegado de Polícia Judiciária Civil.

Sobre os relatos dos acontecimentos antes da intervenção do Vereador Paccola, relacionados à direção perigosa e ameaças contra populares que estavam na conveniência, ele só tomou conhecimento posteriormente. Ressalta o Vereador Tenente Coronel Paccola que a mistura de álcool, direção e arma é potencialmente perigosa, e geralmente causa danos graves e irreversíveis.

A DHPP tomou todas as providências cabíveis acompanhando o trabalho dos peritos da POLITEC, e, na sequência, sob presença de 04 Delegados, realizaram a apreensão das armas e as oitivas de testemunhas, e também do Vereador Tenente Coronel Paccola. Foi instaurado um Inquérito que irá investigar todas as causas e circunstâncias do ocorrido, que se deu diante de várias testemunhas e de câmeras existentes na região.

Por fim, neste momento, são duas famílias que estão abaladas, e o Vereador expressa seus mais sinceros sentimentos de pesar aos amigos e familiares que estão enlutados. O Vereador Tenente Coronel Paccola também agradece o carinho e preocupação de todos que se manifestaram em apoio, compreendendo as circunstâncias dessa fatalidade, e reforça sua confiança no trabalho da Polícia, da Perícia e da Justiça.

COMENTE ABAIXO:
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

GERAL

Câmera mostra motociclista invadindo preferencial e sendo atingido por carro

Publicados

em

Uma câmera de circuito de monitoramento de um estabelecimento comercial mostra o momento exato em que uma motociclista invade a preferencial da via e se envolve em um acidente na região central do município de Tangará da Serra. A colisão ocorreu na manhã deste sábado (13).

No vídeo, é possível ver o condutor do automóvel tentando frear, mas sem sucesso. O carro acaba atingindo a motociclista, que é lançada para cima e depois contra outro automóvel.

Uma equipe médica do Samu foi em atendimento a mulher. Com escoriações, ela foi encaminhada a uma unidade hospitalar.

COMENTE ABAIXO:
Leia Também:  Trio acusado de sequestrar e extorquir gerente de banco é preso
Continue lendo

PODERES

POLÍCIA

GERAL

VARIEDADES

MAIS LIDAS DA SEMANA