EMANUEL FILARTIGA

Rua, um ente vivo

Publicado em

OPINIÃO [email protected]

Em que pese eu passe grande parte dos meus dias de hoje dentro de um concreto, dentro de um gabinete, em frente a uma máquina, eu vim da rua e do quintal.

A rua hoje, para alguns, pode ser local por onde passam carros. Muitos dizem: um lugar perigo (Viver é perigo, Amiga Leitora).

Para mim não. A mim a rua traz infância e velhice. Tem vida, dos golzinhos de chinelo, do esconde-esconde, do caiu no poço, da briga, do medo e da coragem, do fugir, do correr e do enfrentar.

É nela que temos as grandes festas, as grandes revoltas, as grandes mudanças – estas não ocorrem nos gabinetes, não Leitor Atento, não!

A rua é generosa. Nela tem mais igualdade. A rua é transformadora, ela cria várias gentes, sente nos nervos a realidade, há uma coisa humana na sua estrutura. A rua criou muita gente. Ela mostra o que pensa, tem nome, muda de nome, muda de direção e nos leva a outros lugares, inclusive para dentro da gente mesmo. Há sangue humano no seu calçamento, há suor e cantar no seu chão, na sua terra, no seu prolongamento.

Leia Também:  Pela liberdade imortal do direito de expressão da imprensa

Balzac dizia que as ruas de Paris nos dão impressões humanas, as ruas que vivi me tornaram humano.

Sem o consentimento da rua acho que não estaria aqui hoje, por isso sempre volto a ela, sempre que posso vou ao seu encontro e lá me renovo, porque a rua é fonte, ela te nasce.

Sempre quando me cansa o chão duro, o teto branco do gabinete de concreto. Sempre que meus olhos ficam avermelhados e ardem devido a tela da máquina do computador, vou ter com a rua, lá eu sinto o cheiro, o suor das gentes, ouço a voz dos os miseráveis, dos esquecidos, dos desgraçados e dos vagabundos. Ouço a voz. E lá encontro o país real, a vida real … o Ministério Público real, que eu tanto sonhei e que tanto sonho todos os dias.

Emanuel Filartiga é Promotor de Justiça em Mato Grosso

COMENTE ABAIXO:
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

OPINIÃO

Dia do Economista! Em breve, de Casa nova.

Publicados

em

Neste 13 de agosto, dia em que celebramos o Dia do Economista, temos muito o que refletir quanto ao nosso papel diante da sociedade. Nós, economistas, atuamos, de maneira técnica e com base em conhecimento das ciências econômicas, na gestão dos recursos, orientando sobre como “fatiar o bolo entre a produção e distribuição de bens de consumo e serviços”.

É um grande desafio, na verdade. Para nós, à frente do Conselho Regional de Economia de Mato Grosso, essa data comemorativa, é uma oportunidade para manifestarmos o nosso reconhecimento àqueles que se dedicam a traçar estratégias, oferecem o seu melhor nas diversas frentes de trabalho; que são capazes de identificar riscos, evitando assim tomadas de decisões equivocadas, estudam as melhores ações, se reinventam, buscam possibilidades e orientam com firmeza e segurança aos que lhes pedem auxílio. 

Também não podemos deixar de falar que, diante da relevância do papel do economista na sociedade, é preciso que nossa entidade de Classe tenha instalações apropriadas. É por isso que tenho orgulho em dizer que em breve, a sede do Conselho Regional de Economia de Mato Grosso será reinaugurada, com uma estrutura totalmente reformada e moderna. Como a nova Sede do Conselho merece e deve ser!

Leia Também:  Democracias na gangorra

Além disso, seguindo os próprios preceitos de economia, adotamos equipamentos que consomem menos energia elétrica, como sensores de presença nas lâmpadas e aparelhos de ar-condicionado com tecnologia de menor consumo. Ao lado do prédio localizado no Centro Político Administrativo em Cuiabá, também está sendo construído um estacionamento, a fim de que os economistas tenham o mínimo de conforto e segurança enquanto estiverem em atendimento na sede.

2022 segue nos proporcionando desafios enquanto profissionais. O momento de retomada econômica, de reflexos ainda da pandemia e mais recentemente, da Guerra na Ucrânia. Estamos prontos para contribuir com nosso conhecimento. E agora, de Casa nova. Parabéns a todos os economistas!

COMENTE ABAIXO:
Continue lendo

PODERES

POLÍCIA

GERAL

VARIEDADES

MAIS LIDAS DA SEMANA